Maestro Budega é absolvido da acusação de estupro de vulnerável em Cabo Frio; vítima repudia decisão

Entre as acusações, uma menina de 10 anos que fazia parte de seu projeto social, o ‘Apanhei-te Cavaquinho’, teria sido molestada sexualmente. Desembargadores da 5ª Câmara Criminal inocentaram o músico por unanimidade


A 5ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro (TJ-RJ) absolveu por unanimidade, com votos de oito desembargadores, o músico Ângelo Correa dos Santos, conhecido como Ângelo Budega, no processo em que responde por estupro de vulnerável. O julgamento no qual foi aceito o recurso da defesa do músico foi realizado no começo da tarde desta quinta-feira (7). Ele havia sido condenado em primeira instância, em janeiro deste ano. A decisão foi publicada no site do TJ-RJ.

Uma da vítimas de Budega, Kéren-Hapuk, repudiou a decisão da Justiça nas redes sociais. "Que lástima ver esse processo se arrastando por tantos anos e ainda assim a injustiça continuar por cima dessa história. E como é bizarro ver um monte de gente defendendo e dizendo que as acusações são falsas, deslegitimando mulheres, que foram abusadas quando crianças e não puderam falar! O agressor sexual sabe os caminhos da manipulação passiva-agressiva, ele sabe o que está fazendo! Ele tem as más intenções! Ele fere e traumatiza de dentro pra fora na ingenuidade do ser da criança! É sutil e é pesado. E ao mesmo tempo, todos sabem disso e só não vê quem não quer", desabafou.

O advogado Jairo Santana, que trabalha no escritório que presta consultoria jurídica a Budega, disse que a defesa se baseou no que havia nos autos do processo, como os laudos periciais. "Não há o que comemorar. O objetivo era que a Justiça fosse feita.  Absolvição significa que ele foi inocentado. Não houve divergência entre os desembargadores", comentou o advogado, por telefone.

O processo iniciado em 2012, a que o músico respondia, refere-se a uma acusação feita dois anos antes. Ele foi acusado de ter molestado sexualmente uma menina de 10 anos que fazia parte do projeto social dele, o ‘Apanhei-te Cavaquinho’, em que ministrava aulas do instrumento musical a crianças e adolescentes. A acusação partiu da família da vítima.

Em janeiro deste ano, novas acusações a Budega foram feitas pela musicista Kéren-Hapuk, de 22 anos, que também afirmou ter sido abusada pelo músico. Kéren chegou a fazer um registro de ocorrência na Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM). As declarações resultaram na suspensão de um evento da Secretaria Municipal de Cultura de Cabo Frio, no qual o músico seria uma das atrações.

 

*Com informações da Folha dos Lagos.

Categorias: Cabo Frio Polícia

Fotos da notícia




Outras notícias