Serguei morre aos 85 anos e será enterrado em Saquarema

Com a saúde debilitada desde 2013, o cantor começou a passar por dificuldades e a receber uma ajuda mensal da Prefeitura de Saquarema


O cantor Serguei morreu aos 85 anos no Centro de Terapia Intensiva (CTI) do Hospital Zilda Arns, em Volta Redonda, na manhã desta sexta-feira (7). Ele sofria de Alzheimer e foi transferido no mês passado de Saquarema, onde morava, para Volta Redonda. De acordo com a direção do hospital, Serguei ficou 11 dias na UTI e morreu por problemas cardíacos, ocasionados por pneumonia, desnutrição e complicações senis.

O enterro acontece neste sábado (8), em Saquarema, onde o artista passou os últimos anos de vida. Lá, inclusive, ele transformou a própria casa num Templo do Rock, um ponto turístico.

Filho de um executivo da IBM e de uma dona de casa, Sergio Augusto Bustamente, Serguei, é considerado o roqueiro mais antigo do Brasil. Nascido em 8 de novembro de 1933, até pouco tempo ainda estava em atividade com a sua banda Pandemonioum, em shows pelo país.

Entre as façanhas contadas pelo artista, consta que assistiu ao lendário festival de rock em Woodstock, nos Estados Unidos, nos anos 1960; ciceroneou Janis Joplin em sua visita ao Brasil, e é considerado cantor oficial do grupo Hell’s Angels.

Serguei cresceu na Tijuca, na zona norte do Rio, mas na adolescência foi morar com a avó materna no Estados Unidos. Ganhou o apelido de Serguei na infância porque um amigo, que era russo, não conseguia pronunciar o seu nome correto.

De volta ao Brasil, tentou emprego como bancário e comissário de bordo, mas percebeu que sua vocação era a música. No seu currículo, estão apresentações nas edições do Rock in Rio em 1991 e em 2001.

Em 1982, Serguei se mudou para Saquarema, onde criou o Templo do Rock. Além de receber hóspedes, permitia que os visitantes acampassem no quintal. Costumava marcar presença nos encontros de motociclistas e festivais de música independente para incentivar os novos talentos. Com a saúde debilitada, sobretudo a partir de 2013, o cantor começou a passar por dificuldades financeiras e a receber uma ajuda mensal da Prefeitura de Saquarema.

Ainda em 2013, o cantor também foi destaque do carnaval do Rio pela Mocidade Independente, quando a escola desfilou na Marquês de Sapucaí um enredo dedicado ao festival. Ele saiu na comissão de frente com uma inusitada fantasia com a frase "Eu comi a Janis Joplin".

Categorias: Geral

Fotos da notícia




Outras notícias