InícioSegurançaDenúncia"Cabo Frio está atravessando um surto de dengue e ninguém se toca",...

“Cabo Frio está atravessando um surto de dengue e ninguém se toca”, diz moradora

População denuncia falta de ações efetivas por parte da prefeitura diante dos "hospitais lotados, inúmeros focos de água parada e aumento de casos de dengue". Município se manifesta através de nota, confira

“Hospitais lotados, inúmeros focos de água parada e aumento de casos de dengue”. Moradores de Cabo Frio denunciam que, apesar do cenário crítico, a prefeitura não estaria realizando ações efetivas de combate à doença. Segundo dados divulgados pelo município nesta segunda-feira (4), entre janeiro e fevereiro, foram registradas 212 contaminações, número cinco vezes maior que o mesmo período do ano passado.

Apesar do aumento no número de casos, – incluindo 16 internações – e do estado do Rio de Janeiro ter declarado epidemia da doença, o município declara que Cabo Frio “apresenta baixo risco de infestação do mosquito transmissor de doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela”. Já os moradores acham o contrário. Uma idosa de 72 anos, paciente oncológica, conta que está há um mês indo e voltando do hospital por causa da doença e, durante a experiência, constatou que sim, “a cidade está atravessando um surto de dengue e ninguém se toca”.

Ela denuncia que tanto as unidades particulares, quanto as públicas, estão cheias e que, em sua maioria, são pessoas com sintomas de dengue. “É só conversar com os técnicos de enfermagem, com o pessoal que atende. Na hora que a gente vai se cadastrar, eles mesmos dizem muita gente com sintoma de dengue, muita gente doente, cabo frio, muita gente doente”, conta.

Além disso, a mulher, que mora na Passagem, denuncia que muitos terrenos abandonados e com focos de água parada podem ser encontrados pela cidade, fato este que contribui para o aumento de casos. “Tá muito terreno abandonado também, muita coisa que a prefeitura não verifica porque tinha que ter uma vistoria séria e muita gente doente, muita gente doente”, comenta.

A população, inclusive, acredita que o número de contaminados pela dengue é maior do que o próprio município acredita. Uma moradora do Centro, que preferiu não se identificar, afirma que é normal encontrar mosquitos da dengue pelo espaço.

“Eu cuido da minha casa. Não deixo água parada. Mas não posso controlar as atitudes alheias. É normal ver esses insetos por aqui (onde ela mora). Já identifico logo pelas listras brancas. Mas vou fazer o que? Brigar com os vizinhos? Quem tem que fiscalizar é a prefeitura, não sou eu. O que me resta é gastar R$ 50 de repelente por semana”, diz, consternada.

A denúncia de terrenos abandonados – e com focos de água parada – também abrange Tamoios. No sábado (2), Cabo Frio promoveu o “Dia D de combate à dengue”. Conforme o município, mais de 200 agentes de endemias percorreram as ruas da cidade, realizando visitas domiciliares, para eliminar possíveis focos. Contudo, moradores do segundo distrito denunciam que, “aparentemente, a ação não passou pelas ruas daquela região”.

Henrique Bastos, morador da região, compartilhou a imagem de uma piscina em estado de abandono. O registro foi feito nesta segunda, em Aquarius. Ele afirma que, apesar do Dia D, “nada mudou em Tamoios”.

O morador pontua que, depois de denúncias, agentes de zoonoses já compareceram ao local, mas teriam afirmado que não podem adentrar a localidade, que é privada, e que a população local teria que denunciar ao Ministério Público.

Diante dos fatos, o município emitiu uma nota informando que “Diante do cenário estadual de epidemia decretado pelo governo do Rio de Janeiro, a Secretaria de Saúde está desenvolvendo um plano de contingência para o enfrentamento da dengue. As ações estratégicas estão divididas em cuidado e acolhimento ao paciente, planejamento e análise de dados, controle de endemias e campanhas de comunicação.

O setor de Vigilância em Saúde Ambiental reforçará as ações permanentes de controle de endemias, que ocorrem ao longo do ano. Os agentes de endemias estão em constante atividade, percorrendo os bairros da cidade para controlar focos do mosquito e criadouros predominantes, realizando dedetizações e aplicando biolarvicidas. Eles também visitam residências, verificando ambientes propícios para a proliferação de endemias e orientando os moradores sobre a prevenção.

O governo municipal ressalta que está empenhado em combater a dengue e garantir a saúde e segurança de todos os cidadãos cabo-frienses. Mas, para isso, é de extrema importância a colaboração de cada morador na luta contra a proliferação do mosquito transmissor”.

Informou, ainda, que, “para solicitar uma visita ou fazer uma denúncia relacionada a dengue, o cidadão pode entrar em contato através do número (22) 2646-2506 ramais 2250 e 2248″.

Confira a nota da prefeitura na íntegra:

“A prefeitura de Cabo Frio, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, informa que para solicitar uma visita ou fazer uma denúncia relacionada a dengue, o cidadão pode entrar em contato através do número (22) 2646-2506 Ramais 2250 e 2248.

 Informa ainda que, até o momento, foram registrados 212 casos confirmados, cinco estão sob investigação, 16 internações e nenhum óbito em decorrência da doença no município. 

Atualmente o município apresenta baixo risco de infestação do mosquito transmissor de doenças como dengue, zika, chikungunya e febre amarela. No entanto, a Secretaria Municipal de Saúde já identificou aumento nos casos registrados nos meses de janeiro e fevereiro de 2024, que é cinco vezes maior do que o mesmo período do ano passado.

Diante do cenário estadual de epidemia decretado pelo governo do Rio de Janeiro, a Secretaria de Saúde está desenvolvendo um plano de contingência para o enfrentamento da dengue. As ações estratégicas estão divididas em cuidado e acolhimento ao paciente, planejamento e análise de dados, controle de endemias e campanhas de comunicação.

O setor de Vigilância em Saúde Ambiental reforçará as ações permanentes de controle de endemias, que ocorrem ao longo do ano. Os agentes de endemias estão em constante atividade, percorrendo os bairros da cidade para controlar focos do mosquito e criadouros predominantes, realizando dedetizações e aplicando biolarvicidas. Eles também visitam residências, verificando ambientes propícios para a proliferação de endemias e orientando os moradores sobre a prevenção.

Para reforçar a conscientização da população sobre a importância de cada indivíduo fazer a própria parte e estar atento aos possíveis focos de proliferação do mosquito, lançamos uma campanha sobre o tema, disponível nos canais de comunicação da prefeitura de Cabo Frio.

O governo municipal ressalta que está empenhado em combater a dengue e garantir a saúde e segurança de todos os cidadãos cabo-frienses. Mas, para isso, é de extrema importância a colaboração de cada morador na luta contra a proliferação do mosquito transmissor”.

Graduada em Comunicação Social, com habilitação em Jornalismo, pela Universidade Veiga de Almeida.

Já atuou como apresentadora na Jovem TV Notícias, em 2021. Escreve pelo Portal RC24h há três anos e atua, desde julho de 2022, como repórter do Jornal Razão, de Santa Catarina.

É autora publicada, com duas obras de romance e mais de 500 mil acessos nas plataformas digitais.

- Advertisement -
VEJA TAMBÉM
- Advertisement -
- Advertisement -spot_img
- Advertisement -spot_img

Mais Lidas

- Advertisement -spot_img
- Advertisement -
- Advertisement -spot_img
Pular para o conteúdo