Política

Deputado Janio Mendes confirma retirada de assinatura para CPI dos Ônibus

De acordo com parlamentar, caso já está sendo investigado pela Polícia Federal e MPF

Em: 10/08/2017 às 13:07:59
da Redação

O deputado estadual Janio Mendes confirmou que retirou a assinatura do requerimento para a abertura da CPI dos Ônibus, proposta pelo parlamentar, Marcelo Freixo. Em nota enviada ao Portal RC24h, ele explicou que tirou a assinatura por entender que "a CPI perdeu seu objeto, a partir da investigação instalada pelo MPF e pela Polícia Federal, que prendeu toda a diretoria da Fetranspor e apreendeu documentos e computadores. Entendo que não ha investigação mais rigorosa e isenta do aquela conduzida pela força tarefa da Lava-Jato, a qual apoio integralmente. Não há impunidade, muito menos favorecimento, uma vez que a investigação está sendo conduzida pela autoridade competente", disse Janio Mendes.

 


A retirada das assinaturas ocorreu na sessão de terça-feira (8) da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) e não foi bem encarada por parte dos deputados do Psol, que haviam protocolado semana passada um pedido de abertura da CPI para investigar suposto esquema irregular nos transporte público do estado. As críticas dos parlamentares em plenário e nas redes sociais foram severas.

 

Seis parlamentares que haviam assinado o documento, entre eles Janio Mendes, retiraram a assinatura, provocando o arquivamento da CPI. Depois de muitos debates, a bancada do Psol anunciou que na quarta-feira (9) iria cobrar um posicionamento definitivo da Presidência da Casa.

 


Em nota, o presidente da Alerj, André Cecilliano, informou que "o Parlamento, não se ganha no grito, mas no voto. Para abrir CPI, é preciso ter número, conforme determina o Regimento Interno no seu artigo 84, parágrafo 8, alínea A. 

 

Se deputados assinaram o pedido da CPI e mudaram de posição por alguma razão, eles estão no seu direito. Ameaças por parte dos contrariados no sentido  de expor nomes fazendo ilações são uma atitude antidemocrática que não têm respaldo na minha presidência. 

 

Ademais, já existe uma investigação em curso por parte do MP e da PF, há  gente presa, delações, provas. Uma CPI no âmbito do Parlamento em nada vai acrescentar às investigações, se prestará apenas a montar palanque e não é hora para isso".

 


Entenda o caso

 

Na terça-feira (1º de agosto), a bancada do Psol na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) protocolou  um pedido de abertura da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Ônibus.

 

A CPI surgiu após os desdobramentos da Operação Ponto Final, que investiga um esquema de propina usado para obtenção de vantagens em licitações e outros benefícios para as empresas de ônibus no estado do Rio, que até agora resultou na prisão de Jacob Barata Filho, herdeiro conhecido como "Rei dos Ônibus", além de outros empresários e políticos envolvidos com corrupção no transporte viário do estado. Todos acusados de pagar propina a políticos, incluindo o ex-governador Sérgio Cabral (PMDB).

 


Para que a comissão tivesse andamento, o presidente da Alerj em exercício, André Ceciliano (PT), tinha um prazo de até cinco dias úteis para fazer a publicação do pedido do Psol, prazo que terminou na quarta-feira (9).

 

Fonte: Jornal do Brasil


 Tópicos: Janio Mendes,  Alerj, 


Fotos







Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Renata Cristiane

contato@rc24h.com.br
Twitter: @renatarc24h
Tel.: 55 (22) 99930-8382
Todo conteúdo publicado neste portal é de responsabilidade exclusiva da redação do RC24h.