Política

HERANÇA MALDITA - Arraial do Cabo acumula mais de R$ 40 milhões em dívidas do governo anterior

De acordo com o prefeito de Arraial, Renatinho Vianna (PRB), o parecer ainda não é definitivo, já que ainda faltam dados referentes as áreas da Saúde e da Ação Social, que recebem verbas federais

Em: 09/06/2017 às 14:53:24
Da redação*

Um relatório elaborado pela Secretaria de Fazenda de Arraial do Cabo constatou que o município herdou R$ 40 milhões em dívidas da gestão anterior.

 

De acordo com o prefeito de Arraial, Renatinho Vianna (PRB), o parecer ainda não é definitivo, já que ainda faltam dados referentes as áreas da Saúde e da Ação Social, que recebem verbas federais. Uma auditoria está sendo realizada para analisar os valores e fechar a conta.

 

Conforme apurado pela Secretaria de Fazenda, a maior parte do passivo refere-se a dívidas previdenciárias: R$ 30 milhões. O montante foi ajuizado pela Procuradoria da Fazenda Nacional e terá que ser equacionado pelo novo programa de refinanciamento do Governo Federal (Refis). Os restos a pagar, isto é, despesas empenhadas e reconhecidas, mas não quitadas, somam R$ 5,1 milhões. Um débito de R$ 938 mil com a concessionária de energia e o ressarcimento de valores do Fundeb (R$ 1,2 milhão) e da Fundação Nacional de Saúde (R$ 2,8 milhões) completam o preocupante cenário. A dívida total compromete 31% do orçamento anual, que é de R$ 129 milhões.

 

Outro dado que chama atenção é o valor que o município precisa desembolsar para honrar parcelas de acordos feitos pelo governo passado: mais de R$ 602 mil mensais. Somente da parcela do Fundo de Participação dos Municípios (FPM), a que Arraial tem direito, são descontados mensalmente R$ 285 mil. No total, o parcelamento compromete cerca de 14% dos recursos próprios do município.

 

“Foram dívidas deixadas sem recursos, ou pelo menos o esboço de um planejamento, para que fossem quitadas. A próxima gestão que se virasse. Temos enfrentado essa tempestade e matado um leão por dia. Espero que os responsáveis por esse caos nas contas de Arraial sejam punidos e tenham que ressarcir o município” – disse Renatinho Vianna, que promete acionar o Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado.

 

Diante de um cenário tão tenebroso, Renatinho Vianna afirma que “será preciso cortar na própria carne” para tentar minimizar o cenário atual:

 

“Infelizmente, diante desse cenário, estamos tendo que tomar medidas drásticas, que nenhum político gostaria de tomar. Temos que cortar na carne mesmo, enxugando a folha e reduzindo os contratos. Infelizmente, isso acaba causando um problema social porque o maior empregador no município ainda é a Prefeitura. Estamos trabalhando para isso mudar. Mas temos que tomar as medidas para que os serviços essenciais não sejam comprometidos e que a máquina administrativa funcione. Vai ser um ano de muita dificuldade, mas temos a consciência tranquila que estamos tomando as medidas necessárias para que, no próximo ano, o município colha os frutos” - avaliou.

 

O prefeito de Arraial do Cabo observou que, desde que assumiu o governo, tem buscado recursos federais através de reuniões realizadas em Brasília.

 

“Minha peregrinação a Brasília começou desde a semana seguinte que a gente ganhou a eleição. Em busca de emendas e tudo mais. Recentemente, fomos convidados para dois encontros com o presidente da Câmara Federal (Rodrigo Maia), que tem um discurso que até que nos agrada muito: de união, independente das diferenças partidárias e do momento que o país e o Estado vivem, para tentar salvar o Rio de Janeiro. Esse é um discurso de que gostamos muito, até porque quem sofre são os municípios, que estão na ponta. Protocolamos uma série de reivindicações, desde o FPM até questões que precisamos fundamentalmente em Arraial do Cabo. No próximo dia 3, vai ter outra reunião com a presença dos ministros e assessores dos ministérios para os prefeitos despacharem diretamente e pleitear essas reivindicações. Espero muito que isso não seja só no discurso, até porque a gente fica muito receoso que isso seja apenas uma estratégia política porque tem eleição no ano que vem. Estamos cumprindo o nosso papel atendendo ao convite, sempre preocupado com o nosso município, mas estamos atentos também para que isso na prática se concretize. Então continuaremos nossa luta, irei a Brasília quantas vezes forem necessárias para atender às necessidades da nossa população.

 

Ainda segundo o prefeito de Arraial do Cabo, as dívidas têm inviabilizado o governo, dentre outras coisas, de dar a devida atenção aos distritos:

 

“Precisamos resolver as questões de urbanização, pavimentação e saneamento. Felizmente, conseguimos que a Prolagos se comprometesse a abastecer 100% dos distritos com água potável até o final de 2018. Isso nos satisfaz bastante, é muito gratificante. Mas temos muito a fazer, infelizmente, temos que segurar um pouco dentro desse caos. A população tem cobrado, reivindicado, apesar do pouco tempo do nosso mandato. Nós não vamos conseguir reverter todos os problemas acumulados em oito anos de desmandos de forma imediata, mas estamos empenhados em contornar todo esse panorama da melhor maneira possível. As perspectivas para o segundo semestre são boas, mas temos que esperar para ver o que vai acontecer. A gente não pode contar com previsões que, por conta dessa instabilidade, não sabemos se realmente vai acontecer ou não. Então a gente está aqui torcendo e trabalhando, compensando as dificuldades com muito trabalho e esperando um segundo semestre muito melhor” – garantiu Renatinho.

 

*Com base em matéria de Rodrigo Branco / Folha dos Lagos


 Tópicos: Arraial do Cabo,  Dívidas,  Gestão anteiror,  Secretaria de Fazenda de Arraial do Cabo,  Renatinho Vianna, 


Fotos





Notícias Relacionadas

Notícias Relacionadas

Renata Cristiane

contato@rc24h.com.br
Twitter: @renatarc24h
Tel.: 55 (22) 99930-8382
Todo conteúdo publicado neste portal é de responsabilidade exclusiva da redação do RC24h.