Opinião

Colunista RC24h – Vanderlei Bento: A caixa preta do estacionamento

Na coluna desta semana, Vanderlei Bento fala sobre a necessidade de fiscalização rigorosa com a arrecadação e a destinação dessa verba em Cabo Frio

Em: 13/04/2017 às 14:40:21
Vanderlei Bento

Enquanto meu pai acompanha o desenrolar do pacote de maldades de Pezão na Alerj, no Rio de Janeiro, ele me abriu este espaço, nesta semana, para tratar de um assunto que muito interessa à nossa cidade: a caixa preta do estacionamento municipal de Cabo Frio.

 


O estacionamento é fundamental para os cofres públicos nos primeiros meses do ano, quando a cidade está repleta de turistas. Por ser pagamento em dinheiro, à vista, essa receita junta-se ao IPTU como um alívio para a Prefeitura no primeiro trimestre. Por ser tão importante assim, é de bom tom que se faça uma fiscalização rigorosa com a arrecadação e a destinação dessa verba, mas os dados disponíveis no Portal da Transparência da Prefeitura de Cabo Frio sobre esse assunto me deixaram com uma sensação de estranheza.

 


Explico o porquê:

 


No ano passado, mesmo com dificuldades de cobrança - já que a cidade estava enfrentando sérios problemas e funcionando mal - foram arrecadados R$ 1.573.730,00. Este ano, com um novo governo, o valor do estacionamento para ônibus de turismo foi dobrado: a taxa pulou de R$ 100 para R$ 200, e a diária, de R$ 20 para R$ 40. Os carros de fora continuaram chegando às nossas belas praias. Segundo associações de hoteleiros e comerciantes, em matérias publicadas por toda a imprensa, o desempenho da cidade no verão foi muito bom. E quem olhava na rua podia ver, claramente: Cabo Frio estava "botando gente pelo ladrão". Era de se esperar, então, que esses quase R$ 1,6 milhão virassem R$ 2 milhões, R$ 2,5 milhões ou quem sabe até R$ 3 milhões, certo?

 


Isso é que me incomoda: errado.

 


No primeiro trimestre de 2017, a Prefeitura de Cabo Frio arrecadou R$ 1.062.370,00. Pouco mais de R$ 1 milhão. Uma queda de cerca de 40% em relação a 2016. Estranho, não?! O que explica essa queda? Por que, mesmo com a cidade lotada e com a máquina pública funcionando melhor, a cidade arrecadou pouco mais da metade que havia arrecadado no ano anterior?

 

 


São essas as respostas que eu quero.

 


No delicado momento que vive Cabo Frio, faz-se necessário buscar recursos onde eles não existem. Mais necessário ainda é não desperdiçar recursos que já existem. O dinheiro que a Prefeitura de Cabo Frio deixou de arrecadar - por razões que ainda me são desconhecidas - poderia ajudar a manter pelo menos uma parte maior do Ensino Médio municipalizado, poderia ser destinado aos hospitais, à reforma das ruas tão esburacadas, ao saneamento dos bairros mais pobres. Em tempos de magreza, cintos apertados e fantasma de demissão, R$ 1 milhão a mais faz falta. Muita falta.

 


Não vou deixar isso passar batido. Nesse novo mandato, sinto-me renovado para que Cabo Frio jamais chegue novamente ao ponto onde chegou, e tudo começa com o cuidado com a coisa pública. Por isso, no meu papel de vereador, de fiscalizador, entrei com requerimento na Câmara, na última terça-feira, pedindo ao prefeito Marquinho Mendes cópia de processos, extratos, balancetes e documentos comprobatórios dos valores arrecadados pelo estacionamento municipal de Cabo Frio. Vamos fundo nisso. Vamos abrir essa caixa preta. Só assim, faremos o melhor para Cabo Frio.

 

 

 

 

*Vanderlei Bento é vereador de Cabo Frio pelo PMB - Partido da Mulher Brasileira

 

 

 

 

 


 Tópicos: Opinião,  Silas Bento,  A caixa preta do estacionamento, 



Fotos



Notícias Relacionadas




Opinião
Renata Cristiane

contato@rc24h.com.br
Twitter: @renatarc24h
Tel.: 55 (22) 99930-8382
Todo conteúdo publicado neste portal é de responsabilidade exclusiva da redação do RC24h.